Um Barco

terça-feira, 20 março 2007

Fênix

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Reconstruir-me,
De cada pedaço de mim
Ainda que uma cópia.

Regenerar-me
A cada golpe recebido,
Como a cabeça da hidra.

Reencontrar-me
Com o mesmo sol,
Como se em outro planeta.

Pensar-me pleno
De tudo que teria,
Se houvesse a chance.

Perder-me do triste,
Como num labirinto
Para chegar ao riso.

Reescrever-me
Com as mesmas palavras,
Em muitas formas.

Repintar-me
De muitas cores,
Na mesma imagem de mim.

Renascer, límpido,
Das cinzas frias
De cada manhã.

Reacender o fogo
De toda emoção,
A cada segundo.

Saber-me novo,
Sentir-me novo,
Mesmo não sendo.

Imaginar-me eterno,
Nas palavras gravadas
Nos olhos que me lêem.

Filed under: Poesia — Um Barco @ 9:47 pm

8 Comments »

  1. Do barco que nos chama, o calor do renascer, esse espaço…

    Comentário by Pão de açucar — quarta-feira, 21 março 2007 @ 2:21 am

  2. Linda madrugada aos olhos seus e cá estou eu em seu novo endereço… Fiquei feliz em poder participar desse segmento…
    E que coisa, seu poema falou tão intensamente a minha pele tanto quanto a minha alma… Em minha ousadia, ouso dizer que compôs uma semântica próxima de minha existência.
    Abraços

    Comentário by LUNNA — quarta-feira, 21 março 2007 @ 3:07 am

  3. Linda poesia! Bom inicio de OUTONO!abraço.

    Comentário by livia — quarta-feira, 21 março 2007 @ 2:22 pm

  4. A poesia é alento.Belo momento.

    Comentário by trisy — quarta-feira, 21 março 2007 @ 2:23 pm

  5. Bem vindo de volta, amigo. Estava fazendo falta.

    Comentário by Marcos — quarta-feira, 21 março 2007 @ 10:44 pm

  6. E o barco volta ao cais!!! Esteve perdido em águas desconhecidas… como eu! E por que não nos encontramos, hein? Estive precisando de mãos… e de boca! rs…
    Meu querido, saudades tantas de vc! Mas tantas! Quero conversar… muito!!!!
    Agora, falando do poema:
    É uma volta em todos os sentidos. Bela! Fico com estes versos:
    Reescrever-me
    Com as mesmas palavras,
    Em muitas formas.
    Talvez eu até me desmanche neles!!! rs…
    Beijo, viu? Feliz demais por te saber em tempo de cais!!!

    Comentário by Loba — quinta-feira, 22 março 2007 @ 7:16 am

  7. Quanta suavidade, meu querido Barco!!!!!!! Como é bom te reler…te reencontrar….beijo com saudades!!!!!!

    Comentário by crismorena — segunda-feira, 26 março 2007 @ 10:07 pm

  8. Que belezura.. Estou adorando todas, comó e bom te ler..
    beijos doces

    a moça dos sonhos

    Comentário by A moça dos sonhos — terça-feira, 25 agosto 2009 @ 12:49 am

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Gerado com WordPress