Um Barco

quinta-feira, 22 julho 2004

Velho Forte

 

Nem verdade tristonha, nem mentira risonha, o carteiro, que nem meu nome gritou, deixou um envelope pardo que, pelo tamanho, sabia conter uma revista. Abri, sem ver o remetente, e vi você assim, velho forte, imponente, na capa, abrindo as comportas de meu passado.
forte
forte2 E lá estava você, em várias páginas, em vários ângulos, um dos quais, como esse, nunca visto por meus olhos de criança e adolescente. E lá estava eu, anos e anos atrás, invisível na foto, mas presente em cada lado, em cada parede inclinada, por onde deslizava sobre uma palha de coqueiro.
Em seu redor, as brincadeiras da infância e a contemplação adolescente do mar que você até hoje vigia, aquele mar ora azul, ora verde, escravo do clima, das algas e das águas-vivas.
imagens/forte3 
forte5  Velho forte das férias de minha infância e juventude. Perto de você me senti homem, ao receber o primeiro beijo, da primeira namorada. Alguns anos depois, algumas namoradas depois, bem a seu lado, numa noite, me senti humanamente falível, com a primeira bebedeira, por término de namoro (sim, levei um fora). 
Quando a noite descia, lenta, sua silhueta emoldurada pelo laranja-vermelho-negro do mergulhar do sol nos dizia que era hora de voltar para casa, após um dia cheio de banhos de mar, jogos de bola, brincadeiras nas tardes mornas. E, muitas vezes, voltávamos para você à noite, velho forte, mar prateado pela lua, à beira do qual, em rodas de violão, tantas vezes cantava com os amigos amores ainda não vividos.
 forte4 
Não morei perto de você, velho forte, a não ser nos meses de férias, mas me sinto agora, vendo as fotos da revista inesperada, bem próximo de novo às suas paredes,  bem junto de meu passado, bem longe do meu presente que, de uma forma ou de outra, foi influenciado por você. Mas sinto, e bem forte, uma enorme paz, ao me lembrar de tudo isso.
Filed under: Digressões — Um Barco @ 9:09 pm

1 Comentário »

  1. COMENTÁRIOS ANTIGOS

    [Fá] [http://sarahkali.blog.uol.com.br]
    Recordações lindas, ainda mais quando remetidas a epocas que marcam muito. Continua tudo lindo e encantador por aqui, querido. Beijos para ti.
    27/07/2004 09:31

    [Nina] [ninaleon65@hotmail.com]
    Oi, Barquinho!!! Tão bom relembrar a infância, a adolescência, né? Lindo seu post! Bejinhos… Nina.
    26/07/2004 22:01

    [Loba]
    Vim deixar beijo de longe… hj os vírus me jogaram na completa letargia! Mas ainda com resistência pra vir aqui te agradecer. E ler de novo e ficar olhando estas imagens lindamente colocadas. Ai que inveja boa! rs… Beijocas
    26/07/2004 21:49

    […arrepiada…]
    Ahhh….como é preciosa esta eternidade que há atrás de nós!! E como é precioso ter uma parte de você comigo….. beijo arrepiado
    25/07/2004 21:23

    [Loba]
    Tou me lembrando do último comentário que deixou no meu blog… lendo vc agora começo a “ver” algo além da intelectualidade. Bom isso. Fico feliz. Beijos de sexta mal intencionada…rs… Ah… me ensina a colocar imagens assim? Viu como sou abusada? rs… Já vou logo pedindo tudo! Mais beijos…
    23/07/2004 15:55

    [Cúmplice]
    Que bom que você está aqui. Estilhaços de infância numa saudade lindamente desenhada aqui. Beijo de imenso, imenso carinho!
    22/07/2004 21:51

    Comentário by Um Barco — quinta-feira, 16 abril 2009 @ 8:16 am

RSS feed for comments on this post.

Leave a comment

Gerado com WordPress