Um Barco

quinta-feira, 8 julho 2004

Simplesmente…

Inevitável, este post! E eu disse a ela. Só não imaginava que seria tão cedo. Ela me chama de “Dezenas!”, eu a chamo “Unidades!” e nem me lembro mais porque nos apelidamos assim, já que não são nossos nicks habituais, na sala de chat que freqüentamos.

Ela me falou que sua simplicidade nem sempre era entendida (ou algo assim). Eu respondi que a simplicidade era um atributo externo, não uma condição intrínseca (ou algo assim).

Seguiu-se um breve colóquio sobre simplicidade. Perguntei-lhe se conhecia a música “Simplesmente”, disse-me que não se lembrava. E colei para ela ouvir, na sala de chat. Durante a execução confessou-me: “debulhei-me aqui” (ou algo assim). Disse-lhe que ainda escreveria um post sobre o tema.

Agradeceu-me pela música e a dinâmica difusa e fragmentada da sala de chat nos separou, conduzindo-nos a outras conversas, outras pessoas.

Ao longo do dia, o tema me perseguiu. Tardinha, em casa, micro conectado, leitura de e-mails e blogs, inspiração (ou algo assim).

Tudo é tão simples e nada é tão simples. Será que é tão simples assim, nos dias de hoje, “plantar e colher com a mão a pimenta e o sal”? Será tão complexo para um de nós, internautas, ler coisas do mundo inteiro?

Tão fácil e simples (para uns) imaginar a paz como um “…barquinho pelo mar, que desliza sem parar…”. Inimaginável e complexo (para outros) sentir-se em paz (ou algo assim) numa rave, dançando techno com a pessoa amada.

Uma coisa é certa (pelo menos, para mim), mergulhar é preciso. Sentir-se raso(a) é não ter uma profundidade interior que justifique um salto para dentro de si mesmo. E, nesse caso, tudo é simples. Complexo é saber-se abissal, saltar e mergulhar em {m}ág{o}uas profundas.
Nada (tudo) simples, tudo (nada) complexo. Divagação (ou algo assim)…

E deixo, abaixo, a canção que colei para “Unidades!”, letra e música, para que, simplesmente, mergulhem…ou não.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Simplesmente
(Paulinho Nogueira)

Quantas vezes eu já fracassei
Quantos bons momentos desprezei
Por pensar demais, por ouvir demais
Por não saber olhar a vida simplesmente

Dentro desse louco turbilhão
Cada um querendo ser melhor
É muito melhor se deixar ficar
Em tudo que você sentir simplesmente

E logo de manhã
Olhar bem dentro de você
Nas coisas como você vê
Duvidar então do que querem fazer você olhar
Fazer você ouvir, fazer você pensar
E chegando a noite devagar
Descontrair sua razão
Soltar de leve o coração
Procurar alguém o seu bem verdadeiro tão somente
Que vai saber simplesmente
O que é bom pra você

Filed under: Música — Um Barco @ 6:22 pm

1 comentário »

  1. COMENTÁRIOS ANTIGOS

    [Ana Cláudia] [acpnogueira@uol.com.br]
    Estranho mundo, esse virtual. Acabo de ouvir a primeira referência a respeito desta música, num bate-papo de chat com um desconhecido. Achei-a interessante e procurei para ouví-la. Pós-google, encontro não só esse som divino, mas um blog muito bem elaborado. Com sua licença, vou explorá-lo. Parabéns.
    03/01/2006 02:07

    [Sanchez] [sanchezp@uol.com.br]
    Desculpe pelo sucersso, entenda sucesso.
    30/09/2005 18:41

    [Sanchez] [sanchezp@uol.com.br] [http://www.mensagemvida.hpg.com.br]
    Me pediram para “achar” a música “Simplesmente” de Paulinho Nogueira na Net, me deram alguns trechos da letra, me lembrei da música, (é do meu tempo, como dizem) achei o seu site. Belas palavras, belos escritos, bom estilo. Explore esse seu dom. Obrigado pela ajuda na procura. Um forte abraço, sucersso, paz e felicidade.
    30/09/2005 18:39

    [*Bia] [val_vin28@hotmail.com]
    Até dias atrás não sabia o que era um blog e através de algumas “coincidências” fui saber através deste teu “simplesmente”…e escrevi algo(a muito não escrevia) …e me perguntaram pq não tenho um blog e a resposta já tinha sido dada ,um dia antes da pergunta ,no início do que escrevi… ” Ontem…pensava a vida…e escrevia… Hoje…sinto a vida…e me entrego… Ontem …a mente presa no mundo… Hoje…a alma livre no Espírito…” . Claro que o Amanhã ,ao final, está e vai continuar em aberto…pq pra mim ,pelo menos Hoje,o que importa é ser simples, e ser simples é …”simplesmente ser”… Beijos …(de uma desconhecida à um desconhecido…mas amei o que vc escreveu!!!! )
    12/07/2004 13:20

    [Loba]
    Li. Duas vezes. Tou até agora procurando a simplicidade! rs… Qualquer conceito é subjetivo e passível de várias análises. E, via de regra, a gente constrói e descontrói análises, né? O que fica de tudo que li é a sua enorme competência com as palavras. Vc as usa como quer. Brinca com elas de uma forma deliciosa. Fiquei imaginando o que seria conversar com vc…rs… com certeza um belo desafio! Bom demais te ler e reler. Beijo grandão.
    10/07/2004 00:24

    [Unidades]
    Ou algo assim…
    09/07/2004 00:05

    [Unidades]
    Exagerada Qualquer alegriazinha invade, inunda, explode. As pequenas tristezas anulam, dilaceram, matam. O Belo é Belíssimo. O Feio é Horrendo. Como ser simples e calma com esta lente de aumento na minha alma? (Era isto, Dezenas)
    08/07/2004 23:59

    [Nina] [ninaleon65@hotmail.com]
    Talvez sua amiga confunda “simplicidade”, com uma maneira “simplória” de levar a vida, ou seja, crédula demais…sem malícia. Analisar o que é simples e o que é complexo, depende basicamente, da maneira de como cada indivíduo, vê e sente o cotidiano e o extraordinário. Resumindo, seu post está SIMPLESMENTE lindo! Beijos. Nina.
    08/07/2004 23:23

    [orvalho]
    “É muito melhor se deixar ficar Em tudo que você sentir simplesmente” Homem…gostoso te ler assim tão simples e tão complexo. saudade.
    08/07/2004 18:48

    Comentário by Um Barco — segunda-feira, 13 abril 2009 @ 6:59 am

RSS feed for comments on this post.

Leave a comment

Gerado com WordPress