Um Barco

sexta-feira, 5 outubro 2007

Certeza

Nem havia antes,
Quanto mais agora,
Que o incerto,
Mas previsível,
Se fez presente,
Trazendo a face nua
Daquilo que cobrimos,
De tudo que evitamos,
Do que recusamos,
Por mais que seja,
Por mais que nos ronde,
Por menos que desejemos.

Se não havia antes,
Hoje sobra, excede,
Invade e toma tudo,
Onde o pouco que havia
Era o que bastava,
Por mais insuficiente
Que aparentasse,
Ou que quiséssemos.
Não imaginávamos,
E fomos obrigados,
Fomos empurrados, impelidos,
Irremediavelmente.

Se hoje sobra, excede,
Não é nossa culpa,
Não, voluntariamente,
E nem há culpados
A não ser a certeza,
Aquela que não havia,
Porque era ignorada,
Impensada, por distante,
E que se fez presente,
No breve e frio momento
Em que o incerto passou a ser
A única certeza

Se não é nossa, a culpa,
É nossa, a conseqüência,
O efeito, o que ficou,
Aquilo que pesa e dói.
Junto com a culpa,
Aquela que não é nossa,
O arrependimento, inútil,
O repensar no inexorável,
A tentativa vazia, oca
De se justificar,
Sabendo-se culpado,
Com certeza.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Brilhar a Minha Estrela
(Dicastro)

O mais importante prum guerreiro
É simplesmente a vontade de viver,
Sem parar pra pensar nos momentos
Que virão.

Ele sabe o que quer, sabe o que é,
Conhece o caminho,
É o dono da sua verdade,
Do seu destino.

Dá mais um, lembrar de tudo isso.
Dá mais um, pensar no que é bonito.
Dá mais um, em frente na certeza.
Dá mais um, brilhar a minha estrela.
Dá mais um.

Filed under: Poesia — Um Barco @ 4:15 pm

4 Comments »

  1. Certeza?
    Doeu um pouco ler… Ainda absorvendo…

    Gosto do que vem de vc menino!

    abraço de bom dia!
    cristina

    Comentário by cristina — domingo, 7 outubro 2007 @ 1:11 am

  2. Arrisco-me neste navegar, incerto, impreciso. Esqueço-me de portos.
    Carinhos conterrâneos de admiração.

    Comentário by Alfonsina — quarta-feira, 10 outubro 2007 @ 10:55 am

  3. olha que site legal,, essa musica fazia um tempão que não ouvia, já tinha ate esquecido e ela sai de relance numa cena de “Tropa de Elite”
    “há uma estrela lá no ceu, iluminando o meu amor, anunciando o que se esconde por trás dessas manhãs, senão a certeza da tarde que vem, e noite também, e um novo dia além…” (francismar)

    Comentário by francismar Holanda — domingo, 14 outubro 2007 @ 8:54 pm

  4. Que coincidência! Essa música não foi muito tocada nos anos 80 mas me lembro bem dela. Da época pré-estouro do rock Brasil. Tempo da Blitz e Gang 90.
    Ouvi no filme Tropa de Elite e fiquei com ela na cabeça desde então. Nem sabia o nome. QUE MANEIRO!!!!

    Comentário by Daniela ( Sabe a Verbena) — sexta-feira, 16 novembro 2007 @ 7:03 pm

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Gerado com WordPress