Um Barco

quarta-feira, 28 março 2007

Poemias

Em abril de 2004 Um Barco foi ao mar. Alguns posts e meses depois, um site literário chamado “Poemias” enviou um convite para que lá eu publicasse poemas de minha autoria.

Isso ocorreu em setembro do mesmo ano e pouco durou. Encaminhei, em datas diferentes, dois pequenos poemas que foram publicados, mas se apagaram como Poemias também se apagou, com o fechamento do site. Ficaram adormecidos.

Relutei em republicá-los, mas faço-o agora, em silêncio.

O Muro

O muro está ali, eu o sinto.
E não vejo como ou porque
Deveria escalá-lo,
Já que nem é tão alto assim.
Mas é um muro, uma parede,
E eu preciso!
Nem quero saber porque ou como,
Mas preciso, sinto isso!
Saber do outro lado
Ainda que seja só para ver
A mim mesmo, tentando me encontrar.

 

O Medo da Morte

Nem é da morte o medo,
É o medo de mais não ser.
É ser, e tão apenas.
Se apenas viver, mais nada
É nada mais que um desejo,
É um desejo puro, forte,
Eu, forte mesmo não sendo,
É sendo fraco que irei.
É, irei à luta e verei
Morrer o medo da morte.

Filed under: Poesia — Um Barco @ 12:17 am

1 Comentário »

  1. Oi meu querido…

    Se tivesse acessado a meia hora atrás,tomaria pra mim teus poemas(mesmo não sendo,que importa)…importa é que eles estão exalando sentimento e emoção…
    mas mesmo assim,como foram postados no dia de meu niver,vou me apossar , imprimí­-los e guardar como recordação de vc…e desses bons tempos….posso???
    Beijo carinhoso…

    Comentário by val — quinta-feira, 29 março 2007 @ 1:23 am

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Gerado com WordPress